Chineses do Santander Universidades vão da teoria ao samba da Grande Rio

A Unigranrio deus as caras e as cartas em mais um evento do Santander Universidades, pelo segundo ano consecutivo, desta vez na cidade do Rio de Janeiro. Além de palestras, o que abriu de vez os olhos dos 50 universitários e professores chineses foi a visita ao barracão da Escola de Samba Grande Rio, na Cidade do Samba, onde todos tiveram aulas com ritmistas e mulatas, sendo recepcionadas pelo diretor de Carnaval Ricardo. Pelos depoimentos recebidos após a euforia do ensaio pré-carnavalesco, com a presença da TV Record e TV Bandeirantes, o projeto TOP-China Rio 2013 foi um sucesso, em que a Unigranrio recebeu nota máxima em todos os quesitos: programação de palestras, acolhimento e visitas aos locais turísticos da Cidade Maravilhosa.

Foi uma visita inesquecível, dizia a maioria dos chineses, ao final da programação da Unigranrio. O intercâmbio foi total, com palestras pela parte da manhã, com os temas: A imigração chinesa no Rio de Janeiro”, que enfocou o contexto histórico da imigração chinesa ao Brasil, As professoras da Unigranrio, Tânia Amaro e Ângela Roberti, ambas do curso de História, deram aula com apoio de tradutores, com enfoque sobre costumes, culinária, influência na construção da primeira ferrovia e no panorama econômico da Baixada Fluminense.

O Trem da História - Tânia e Ângela destacaram, entre outros assuntos, a participação dos chineses na mão de obra durante o transporte do café, por meio da primeira ferrovia brasileira, na região de Magé. Tânia também informou que a primeira locomotiva brasileira apareceu em 1854. Hoje, ela está em exposição no Museu do Trem, no bairro do Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro. “Lá o público pode ver a locomotiva Baroneza, movida a vapor, fabricada na Inglaterra, que foi a primeira a trafegar na Estrada de Ferro de Petrópolis”, conta.

A seguir, os chineses participaram da conferência “Sistema educacional brasileiro”, por Cleonice Puggian, professora do curso de Pedagogia e dos programas de pós-graduação em Letras e Ciências Humanas,  e, ainda, Ensino das Ciências. Cleonice fez uma palestra com apoio de slides e gráficos de pesquisas, dando um panorama real sobre a situação do ensino no país, na área da educação básica, tendo buscado comparações entre os anos de 1995 e 2001, acentuando que, atualmente, o número de analfabetos diminuiu em relação à última década. Ela também ressaltou que o número de inscrições na educação básica cresceu acentuadamente nos últimos anos, na faixa de seis a quatorze anos.

Segundo a professora Cleonice Puggian, hoje, o país tem cerca de 50 milhões de estudantes na área do ensino médio. A palestrante conclui seu tema dando mostras do trabalho da Unigranrio ao longo de mais de 40 anos de ensino, com propostas pedagógicas inovadoras e com projetos sociais de alto impacto na região de Duque de Caxias, principalmente.

Estudante chinês ficou perplexo com os baixos salários pagos aos professores brasileiros - Após a palestra de Cleonice Puggian, ouvimos o depoimento do universitário Runxia Cai, que cursa engenharia na universidade Tsinghua. Ele gostou das palestras e deu sua versão quanto a índices de analfabetismo na China: “Lá, temos menos de 2% de analfabetos, porque trabalhamos muito na questão da erradicação do analfabetismo. Em nosso país, trabalhamos muito a leitura desde o ensino fundamental. Achei que o salário dos professores nessa área de ensino é muito baixo, quando comparo com o que se paga na China. Por outro lado, durante os passeios pelo Rio, percebi como as águas das praias do Rio de Janeiro são limpas, sendo que não vi a poluição que temos ao redor das principais cidades de nosso país. Para mim, o Pão de Açúcar foi o ponto turístico que mais gostei nessa viagem”, respondeu Runxia.

Professora de Química da Unigranrio Whei Lin deu show de simpatia e, ainda, mostrou competência ao sambar –  O professor da  comitiva chinesa, Sungtae Lee, da universidade Naijing, abordou o tema “Repensando sobre o povo de Naijing”, tendo como mediadora a professora de Química da Unigranrio Whei Lin. Ela deu show de simpatia, ao trocar sua aula por um bate-papo com os alunos. A professora falava em chinês, ora em inglês e, por vezes, até em português, quando deu explicações sobre palavras mais usadas em conversas do dia a dia. Mais tarde, já na Cidade do Samba, caiu literalmente no ritmo do Carnaval, já com seu estilo próprio e uma ginga bem à brasileira. Os chineses viram aquela cena e também se arriscaram em passos pouco afinados com este ritmo, mas com total alegria e descontração.

Nossos alunos e mestres são intérpretes cinco estrelas – Os alunos do curso de Letras da Unigranrio Jordan Wallace Anjos da Silva, Felipe Pinheiro Andrade dos Anjos e Adalgisa Félix colaboraram como intérpretes dos universitários chineses, tanto nas entrevistas e palestras, assim como passeios turísticos pelo Rio de Janeiro. Já as professoras Fátima Rivas e Lúcia Ribas também ajudaram durante as entrevistas e atividades programadas aos visitantes chineses.

Escadaria Selarón foi visitada pelo chineses – Após almoço no Centro do Rio, os estudantes rumaram para sua primeira visita à escadaria Selarón. Eles ficaram maravilhados com a exuberância e variedade de azulejos de todo o mundo. A Escadaria Selarón, que leva o nome do autor chileno, Jorge Selarón, morto recentemente, tem 215 degraus e 125 metros de comprimento. Alguns alunos foram até o alto e, de lá, fizeram muitas fotos de recordação. A maioria deles ficou impressionada com os mosaicos e a decoração dos corredores em tom vermelho.

Liu Wolong, da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, adorou conhecer o Rio de Janeiro – “Para mim, o Rio é a cidade das artes. Vejo que a cultura jovem desse povo está por todos os lugares. Fiquei impressionada com a cultura de todo o mundo, muito bem mesclada nesses painéis da Escadaria Selarón. Os cariocas abraçam a todos de igual forma e sabem receber os turistas estrangeiros como poucos. Gostei muito de visitar o Cristo Redentor e, ainda no Japão, soube do sucesso da visita do Papa. Finalizando, os brasileiros criaram sua própria identidade cultural em meio a tantas influências estrangeiras”, conclui a estudante chinesa, que adorou ouvir Garota de Ipanema.

Chineses dão show de samba, simpatia e ritmo no barracão da Grande Rio, na Cidade do Samba – Eles entraram para a ver, mas logo tiveram o sabor de acelerar os passos sob o som de ritmistas e performances das mulatas dessa Escola, que deram um show de competência e bom humor. Em pouco mais de uma hora, nossos amigos chineses aprontaram de tudo um pouco: vestiram fantasias de 2013, pegaram instrumentos emprestados e receberam dicas de como sambar com as mulatas, num cenário de muita alegria.  Tudo isso só foi possível pelo apoio irrestrito de um profissional do Carnaval, que parecia reger os visitantes em dia da festa maior dos foliões. Ricardo Fernandes, diretor de Carnaval da Grande Rio, autorizou a entrada de todos em boa parte do Barracão de sua Escola, compartilhando um tour por andares e pelo espaço reservado à construção dos carros.

TV Bandeirantes e TV Record fizeram reportagem com os chineses no Barracão da Grande Rio – Os chineses tiveram, assim, um luxo a mais, por serem ciceroneados pelo diretor Ricardo Fernandes, que deixou, por algumas horas, seu trabalho à frente da preparação do Carnaval 2014.  As emissoras de TV Record e Bandeirantes fizeram reportagens ao longo das evoluções dos universitários chineses, que não esconderam a vontade de voltar para a grande festa de início de ano: “Quero participar deste espetáculo que, para mim, é o maior de todos os que vi até hoje. Já tinha visto pela TV, lá na China, mas meu sonho virou realidade, e nos sentimos parte da Escola Grande Rio. Jamais vou esquecer tudo o que foi feito por nós, inclusive pela turma da Unigranrio”, agradece um dos chineses.

Pró-reitora Comunitária da Unigranrio enaltece o apoio do diretor de Carnaval da Grande Rio – Sônia Mendes, pró-reitora Comunitária da Unigranrio,  foi só elogios ao diretor de Carnaval da Grande Rio – “Nós podemos dizer que tudo de bom que aconteceu neste dia, aqui na Cidade do Samba, só foi possível graças ao diretor Ricardo Fernandes, que nos brindou com um espetáculo digno de encher os olhos dos visitantes chineses. Eles se divertiram, e muito,  com a arte do samba e com histórias que marcarão a vida de todos que aqui puderam apreciar uma das artes mais vistas por turistas de todo o mundo. Temos, ainda, que enaltecer a disposição, simpatia e profissionalismo dos músicos e mulatas, além dos que nos receberam com tanta distinção e apreço. Saio daqui com a sensação do dever cumprido, certa de que o Santander Universidades cumpriu seu projeto de forma integral. A equipe da Unigranrio foi incansável e altamente profissional, em todos os momentos”, conclui Sônia Mendes.

Deixe um comentário